sexta-feira, 25 de julho de 2008

A PERSPECTIVA DE FILIPE SANCHES

" (...) A voz filosófica está silenciada em Portugal porque não nos reconhecemos uma identidade. Tudo isto pode mudar e já há louváveis nomes e esforços neste sentido… João Branquinho, Desidério Murcho, Jorge Dias… porque não?
A SPF não tem relação suficiente com os docentes do ensino superior nem inagem nem capacidade directiva para projectar profissionalmente os seus membros que vivem numa angustiante auto segregação por falta de confiança nos colegas e num desejo utópico de sucesso e estatuto intelectual… ou não será? Dasein? Nada contra…. pode até ser muito útil ou pelo menos assim o dizem unanimemente os conferencistas estrangeiros que visitam Portugal e dão palestras únicas a que nem sequer a comunidade filosófica atende…
É preciso primeiro unir os filósofos… aprender a discutir construtivamente, e depois criar e estimular a livre criação das presentes gerações de formandos… nas palavras de quem mais em Portugal faz pela Filosofia: “há muito para fazer”."

por: filipe.sanches@gmail.com on Junho 1, 2008 at 12:07 am
IN Fórum de Filosofia.

JOSÉ BARRIENTOS PUBLICA LIVRO SOBRE FILOSOFIA APLICADA

José Barrientos Rastrojo publica livro sobre «Filosofia Aplicada a Pessoas e Grupos».





A obra inclui artigos diversos e é o resultado das Conferências realizadas pelo Grupo de Investigação em Filosofia Aplicada, da Universidade de Sevilha, em 2007/2008.
















Destacamos os artigos de Alves Jana - "Ironias da Filosofia" e de Jorge Dias - "A Felicidade como Fundamento da Filosofia Aplicada".


No final, um anexo de Manuel Fernandez, resume o principal do IV Congresso Português de Filosofia Aplicada, organizado pela APAEF, em Novembro de 2007, em Portugal.

quinta-feira, 24 de julho de 2008

ANTENA 1 REALIZA PROGRAMA SOBRE ACONSELHAMENTO FILOSÓFICO








O programa «O X da Questão...» (15h-16h), da rádio Antena 1 - Madeira, dedicou 2 programas ao tema do Aconselhamento Filosófico:

- Quarta-feira, 12 de Dezembro de 2007

Mais Platão, menos Prozac
Lou Marinoff ataca os psicólogos e psiquiatras por considerarem os seres humanos “animais doentes” “Estão a denegrir a humanidade”E se os seus problemas quotidianos pudessem ser resolvidos através de aconselhamento filosófico? Esta é a proposta de Lou Marinoff, o autor do célebre «Mais Platão, menos Prozac»O Primeiro de Janeiro
Eis o X da questão... Xana em Quarta-feira, Dezembro 12, 2007

- Segunda-feira, 3 de Março de 2008

"Mais Platão menos Prozac" é o título de um livro, que é também hoje o nosso X da questão.
Será a Filosofia uma alternativa aos antidepressivos, à Psicologia, ou à Psiquiatria?
Um estudo recente diz que os antidepressivos não são eficazes, enquanto em Portugal já vão aparecendo "Consultórios" Filosóficos. (continua)

Para mais informações, consulte o blogue do programa

segunda-feira, 14 de julho de 2008

EPIMELEIA - GRUPO DE INVESTIGAÇÃO EM PRÁTICA FILOSÓFICA


EPIMELEIA - É um Grupo Internacional de Investigação em Prática Filosófica, da Universidade de Barcelona.
O Grupo surgiu no âmbito do Mestrado em Prática Filosófica e Gestão Social e é composto por membros de várias Universidades e Instituições.
Para mais informações, consulte EPIMELEIA.

sexta-feira, 11 de julho de 2008

JAUME PUIGFERRAT PUBLICA LIVRO SOBRE FILOSOFIA PRÁTICA


Jaume Puigferrat foi presidente da Associação Catalã de Filosofia Prática e tornou-se conhecido pela sua participação em programas de televisão e entrevistas na imprensa.
Desde cedo demonstrou o seu espírito inovador, ao ter sido Consultor Filosófico de diversas produções cinematográficas.
«O Peixe que vivia fora de água» é o título do seu mais recente projecto editorial. O título sugestivo pretende passar uma determinada mensagem sobre a prática filosófica e o modo como o autor a entende.
Aconselhamentos a leitura!

quinta-feira, 10 de julho de 2008

ACÇÃO DE FORMAÇÃO CONTÍNUA - PROFESSORES


O Centro de Formação de Professores de Peniche apresenta a seguinte Acção de Formação para Professores de Filosofia:


Título: «A Ensinabilidade da Filosofia no Secundário. Um Problema Urgente.»


Nº Horas: 25h


Formador: Francisco Sousa


Nº Acreditação: 48909/07


CONTEÚDOS:


- A Filosofia no Ensino Secundário;
- Didáctica da Filosofia: arte ou ciência?
- As finalidades e os objectivos da disciplina de Filosofia no ensino secundário;
- Programas em vigor: sua articulação com as finalidades/objectivos da disciplina;
- Programa de Filosofia, 10º ano: sua abordagem didáctica;
- A planificação em Filosofia.
- Princípios reguladores da avaliação;
- Avaliação em Filosofia;

ACÇÃO DE FORMAÇÃO CONTÍNUA - PROFESSORES


O PLANO DE FORMACAO do Centro de Formação da Associação de Escolas Calvet de Magalhães oferece uma Accao de Formacao Continua na area da Filosofia Aplicada.

Titulo:11 - Filosofia prática e prática da filosofia

Data: 10/09/2008 a 28/11/2008

http://calvet.malha.net/index.php?option=com_content&task=view&id=84&Itemid=0

Para mais informacoes, contactar:
Centro de Formação de Associação de Escolas Calvet de Magalhães
URL: http://calvet.malha.net/
Morada:R. Alexandre Sá Pinto
1349-003 Lisboa
Email: ccalvetm@mail.telepac.pt
Telefones: 213 621 744 e 213 621 744

quarta-feira, 2 de julho de 2008

ARTIGO: TEATRO E FILOSOFIA



Nem sempre o espectador português tem a oportunidade para ir ao teatro ver uma peça sobre Filosofia.


Recordamo-nos de uma peça apresentada pelo Teatro Bairro Alto, com Luis Miguel Cintra, sobre a vida do Filósofo Empédocles.


Também temos visto algumas encenações sobre a morte do Filósofo grego Sócrates...





Agora, com a peça de Araújo Pereira e Pedro Mexia, certamente que já não passará indiferente à maioria dos portugueses: a Filosofia ainda desperta interesse aos profissionais não licenciados em Filosofia.

A GET - Revista Digital de Prática Filosófica - assistiu à peça no passado dia 28 de Junho de 2008.

Com uma sala cheia, a primeira questão que nos colocámos foi: Porque está cheia esta sala? Pelo interesse filosófico do espectáculo? Ou pelo facto do actor ser extremamente conhecido e os espectadores virem com expectativas de muito humor?

Antes de escrevermos este artigo, passámos em revista algumas das publicações que anunciaram o espectáculo e verificámos que quase todas alertavam para o facto da peça fazer parte de um projecto diferente. Em
entrevista à Agência Lusa, Ricardo Araújo Pereira refere também que não vai repetir a experiência. Resta saber se este comentário faz parte da habitual ironia do actor ou se é um sinal de que o futuro teatral poderá passar pelo aprofundamento temático nesta área de trabalho.

A nossa pergunta é a seguinte: se esta peça tivesse sido representada por outro actor menos conhecido, a sala também estaria cheia todos os dias? Ou será que só os grandes actores podem dar-se ao luxo de fazer "serviço público" em Filosofia?

Não podemos ter qualquer dúvida que a crise actualmente instalada na Filosofia (desde o ensino secundário ao universitário) veio ganhar bastante com esta promoção teatral. Ricardo Araújo Pereira tem a virtude de conseguir encher uma sala (cerca de 400 pessoas), com uma conferência de Filosofia. Todos sabemos que as conferências universitárias de Filosofia costumam ter pouco mais de 30 ou 40 pessoas.

Posto isto, poderíamos aproveitar a experiência e começar a pensar em formas alternativas para a renovação da Filosofia.
De facto, Araújo Pereira revela ter excelentes dotes oratórios, conseguindo manter a atenção do público durante 60 a 70 minutos.

Deixamos aqui duas ideias em cima da mesa: ou passamos a convidar o actor para participar em conferências de Filosofia ou esperamos que alguém grave a peça e a disponibilize em DVD, para que os profissionais da Filosofia a possam usar como material didáctico-pedagógico.

Quanto à peça propriamente dita, gostaríamos de começar por citar Pedro Mexia:

"(...) Isaiah Berlin recorda a «felicidade intelectual» que experimentou no convívio com o seu amigo. Céptico e combativo, Austin detestava falácias argumentativas e tudo o que soasse vago ou obscuro. Isso fazia das suas aulas e tertúlias um excitante despique. Berlin conta que Austin queria ter sido engenheiro ou arquitecto, tal o seu gosto por fazer coisas. Como foi filósofo, fez coisas com palavras." (Pedro Mexia in Estado Civil - Blogue do Dramaturgo)

Na verdade, esta peça mostra-nos como é possível fazer FILOSOFIA APLICADA ou, se quisermos, PRATICAR A FILOSOFIA. No entanto, também é curioso verificar que a influência de uma vocação mais virada para a engenharia e para a arquitectura, fizeram de AUstin um Filósofo mais atento à prática da linguagem quotidiana. O estudo destas questões são extremamente úteis, por exemplo, à formação do Consultor Filosófico.

Finalmente, Rita Martins, do jornal Público, refere uma das questões que para nós é essencial: o "carácter experimental» deste projecto de teatro filosófico e o "arrojo deste projecto".

Quanto à primeira questão, pensamos que esta peça, enquanto experiência, poderá ser o inicio de uma exploração mais vasta nesta área. Se pensarmos, por exemplo, em temas filosóficos ainda mais interessantes para o grande público (como por exemplo, o sentido da vida, a felicidade, o amor, etc.), podemos ter aqui um forte potencial para uma exploração teatral da Filosofia. E pelo que já vimos, a Filosofia só tem a ganhar, tal como os espectadores, que saiem da peça muito mais enriquecidos e motivados para uma conversa filosófica entre amigos.

Quanto à segunda questão, pensamos que a dificuldade em teatralizar esta obra de John Austin trouxe a Ricardo Araújo Pereira uma exigência maior de rigor, atenção e concentração. A opção da direcção técnica foi realizar uma peça bastante próxima do original, tendo como resultado um espectáculo mais filosófico daquilo que era de esperar.

"O espectáculo balança entre um teatro-conferência cómico e uma stand-up comedy séria e, nesta indefinição, que afasta os perigos do aborrecimento e do humor fácil, previnem-se os riscos de um trabalho de carácter experimental. É, por isso, uma proposta teatral ambígua - corajosa e tímida, provocatória e prudente. O arrojo do projecto é refreado na sua concretização, que fica a meio caminho entre a estratégia comercial e o exercício filosófico, entre o puro divertimento e o genuíno prazer intelectual." (Rita Martins "Filosofia da linguagem em cena" in Jornal Público, 2 de Julho de 2008)

Por todas estas razões, atribuímos a este espectáculo teatral a classificação final de 19 valores.

Ficamos a aguardar por mais.

GET - Revista Digital de Prática Filosófica
E-mail:
apoioxxi@mailc.net

NUNO PAULOS TAVARES






A Associação Portuguesa de Aconselhamento Ético e Filosófico tem uma nova Direcção Executiva Nacional.
Após eleições realizadas no passado dia 7 de Maio, foram eleitos os seguintes elementos:
- Nuno Paulos Tavares - Presidente
- Cecília Reis Maia - Secretária
- Laurinda Silva - Tesoureira

Nos próximos dias 16-19 de Julho, o Presidente da APAEF vai estar presente no IX Conferência Internacional de Prática Filosófica, com a apresentação de um workshop intitulado: «Screaming words».



Nuno Paulos Tavares estará ainda no Fórum Internacional: «Entering the field: Beginners in philosophical practice».




Nuno Paulos Tavares é membro do projecto «Enteléquia - Filosofia Prática»