quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

ROLANDO ALMEIDA DEBATE QUESTÕES FUNDAMENTAIS DA PRÁTICA FILOSÓFICA


Rolando Almeida é professor de Filosofia na Região Autónoma da Madeira e autor de um dos blogues mais dinâmicos na área da divulgação da Filosofia no Ensino Secundário, promovendo, também, alguns debates, que podem ser lidos na secção dos «Comentários».

No passado dia 24 de Janeiro, Rolando Almeida recupera um tema que já havia sido iniciado por outros autores, a saber, a «Empregabilidade em Filosofia» (http://rolandoa.blogs.sapo.pt/139856.html). Na nossa perspectiva, este é um sinal da profunda reflexão que a comunidade de licenciados em Filosofia deverá fazer nos próximos tempos, resultado da crise geral que as sociedades atravessam nos tempos que correm. Com um impacto real na carreira de Filosofia, a crise tem vindo a provocar mudanças decisivas no emprego das pessoas que terminaram uma Licenciatura em Filosofia. A maioria dos licenciados em Filosofia, em Portugal, é professor no ensino secundário. Hoje, existe um número significativo de professores efectivos que lecciona outras disciplinas, dado não existirem alunos suficientes para preencherem lugares na disciplina de Filosofia. Os exemplos são vários: Psicologia, Sociologia, Área de Integração, Comunicação e Empregabilidade, etc.

Na sequência desta reflexão, seremos levados, inevitavelmente, para o debate sobre a Estrutura Curricular das Licenciaturas em Filosofia. Neste âmbito, a Universidade Católica já começou a alargar os seus horizontes, inovando, com a oferta aos seus alunos de um Estagio. O Instituto Piaget também enveredou por este caminho, oferecendo uma Pós-Graduação em Aconselhamento Filosófico.

Quanto a nós, é essencial que este tipo de trabalho continue e cresça em número e qualidade. Pensamos que seria essencial aparecer alguns doutoramentos ou teses de mestrado sobre todas estas questões e, inclusivé, com a apresentação de estudos práticos na área da Filosofia Aplicada. Sabemos que já existe algum trabalho feito, mas o problema, aqui, é o facto desses projectos não estarem suficientemente divulgados.

Envie-nos as suas sugestões, informações, artigos. Nós publicamos aqui e divulgamos.

Sem comentários: