terça-feira, 5 de outubro de 2010

DEBATE ENTRE TOMÁS MAGALHÃES CARNEIRO E DESIDÉRIO MURCHO

leia AQUI o interessante debate de ideias


e COMENTE se achar pertinente...

1 comentário:

Tomás disse...

Obrigado pela partilha, Jorge. Espero que (re)lance o debate :)

Sublinho o "pomo da discórdia deste debate:

Eu - "para que a disciplina da filosofia não se arraste do 10º ano até ao fim da faculdade como uma "corrida ao armamento" em que ganh...a quem recolhe mais argumentos em mais ou menos obscuros livros e manuais de filosofia contra ou a favor uma determinada posição, e para incutir algum sentido de exploração genuína e pensamento crítico-criativo nos nossos alunos [...] defendo que pelo menos no 10º ano (preferencialmente antes disso) o currículo da disciplina deveria consistir totalmente (sublinho totalmente) em debates e aprofundamento em grupo de questões filosóficas.
O papel do professor de filosofia deveria ser o de SOMENTE incentivar e guiar a discussão no sentido da descoberta e interesse por esses problemas “sem resposta” que tanto confundem e revoltam os nossos alunos quando chegam a eles pela primeira vez no 10º ano."

Desidério - "continuo a insistir que é algo tolo, se estamos interessados genuinamente num problema filosófico não estar interessado nas reflexões que os nossos semelhantes fizeram, só porque não os conhecemos pessoalmente ou porque dá trabalho ir à procura de bibliografia. Eu penso que quando se faz isso não se tem assim tanto interesse nos problemas."

Sublinho ainda que foi o Desidério Murcho (sobretudo com seu trabalho na Crítica) quem me deu a conhecer o lado "polemista" e dialéctico da investigação filosófica que ainda hoje procuro divulgar e aprofundar.

abraço,
TomásVer mais