terça-feira, 31 de janeiro de 2012

segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

ENTREVISTA GET Nº 5 - EUGÉNIO OLIVEIRA, PRESIDENTE DA APEFP



1. Porque se candidatou à APEFP?

A APEFP foi um projecto que surgiu de uma forma sustentada e bem pensada em razão da experiência dos fundadores na área do associativismo. Esta experiência aliada também à formação académica e profissional na área da ética e da filosofia, ad substantia, possibilitou o nascimento desta associação que tem crescido eficazmente com boa adesão de associados.

2. Qual o seu percurso de formação?

Concluí os meus estudos secundários na Escola Secundária Latino Coelho em Lamego e Licenciei-me em Filosofia - Ramo de Formação Educacional pela Faculdade de Filosofia de Braga-UCP em 1991. Frequentei o Curso de Oficiais em Mafra e ingressei na Brigada Mista Independente ( BIMEC) de Sta Margaridaem 1992 como oficial e comandante de Pelotão. Como professor do grupo de Filosofia leccionei em várias escolas do País e ministrando diversas disciplinas: Filosofia;Psicologia; Introdução à Política;Sociologia; Cidadania e Profissionalidade; Cidadania e Empregabilidade, Cultura, Língua e Comunicação e várias UFCD`s de Ética e Deontologia Profissionais. tenho colaborado com a faculdade de Filosofia de Braga como orientador de estágios dos alunos do Curso de estudos Artísticos e culturais.
Frequentei vários cursos de especialização em que se destacam avaliação da Formação; Dinâmica de Grupos; Consultoria Ética e Filosófica, Filosofia para Crianças.
Estou ligado à Formação de Professores com 3 acções acreditadas pelo CCFC por 2 centros de formação.
A área da ética e deontologia tem sido uma das áreas em que como Formador tenho mais promovido e desenvolvido.
Para além da vertente profissional e associativa tive um percurso desportivo em que como federado fui atleta de Futebol de 11 e de futsale de competição e ainda na modalidade de Ténis.


3. Como vê a Prática Filosófica em Portugal? E o seu futuro?

 A Prática filosófica tem tido um bom impulso em Portugal e podemos observar que já há algumas pessoas que realizam vários eventos de divulgação e de promoção da Filosofia Prática. A área da Consultoria filosófica; a filosofia para crianças;os cafés filosóficos;etc, são exemplos de como se tem demonstrado as potencialidades da Filosofia e da Filosofia Prática em particular. Também tem surgido, ocasionalmente, algum interesse na comunicação social e por isso já observamos algumas entrevistas nas rádios e nos jornais com filósofos práticos portugueses.
O futuro é incerto nem consigo prever que esta área dê para alguém poder viver desafogadamente com a sua prática mas em termos associativos a APEFP tem dado um impulso muito importante, sendo um projecto interessante. É nessa perspectiva que sinto que a causa terá mais sentido.

4. O que mais pensa fazer durante o seu mandato na APEFP?

O mandato está quase a terminar mas em 3 anos e para quem pretender saber o que se tem feito é só clicar em www.apefp.blogspot.com e constatar, in loco, a panóplia de eventos de promoção da ética e da filosofia prática. Vamos já na IV edição do Filocafé que tem sido um sucesso nacional; realizamos o I Colóquio nacional: Cultura, Ética e Filosofia Prática, em 2009 na Faculdade de Filosofia de Braga com um êxito enorme onde participaram 128 pessoas e onde a APEFP reuniu os principais filósofos práticos e ainda o Prof José Barrientos; fomos pioneiros em Workshops que têm tido uma recepção por parte das escolas enorme, a saber: Workshop de Filsoofia com Humor e Workshop de Filsoofia com Amor; tivemos III Cursos de Filosofia para Crianças com a Dra. Joana Sousa a colaborar; a APEFP foi a convidada para a abertura do centenário da República da cidade de Barcelos onde apresentamos a palestra " Ètica e República; participamos no programa do canal de TV AXN: Luz verde: As escolhas Humanas; colaboramos com vários jornais em artigos; com a rádio TSF; iniciamos cursos de ética para PME`s e curso de Ética Organizacional; tivemos ainda o I Curso nacional de Consultores Filosóficos com O Prof. barrientos como Formador. Enfim, é exaustivo estar aqui a enumerar mais.

5. A Filosofia é conhecida hoje pela sua inutilidade. Em Portugal têm encerrado cursos universitários; no Secundario está resumida apenas ao 10º e 11º anos; as saídas profissionais são quase inexistentes; na comunicação social não se fala de Filosofia! Porquê este cenário tão cinzento em Portugal?

Sim, sabemos que a Unesco emana documentos no sentido contrário, ou seja, de os estados membros promoverem a filosofia e a ética mas não assistimos a isso pois as limitações económicas impõem à educação e à cultura grandes restrições. No entanto, penso que a consciência dos nossos governantes e em especial a do Ministro da educação seja a de preservar este saber ancestral e tão nobre como é a Filosofia. Como dizia José saramago, as crises são sempre crises é de pensamento e neste sentido, a Filosofia nunca poderá nem deverá desaparecer.

6. Alguma vez pensou em colaborar com a outra associação APAEF?

Não sei nem conheço quem está à frente sinceramente.

URL: http://apefp.blogspot.com/